terça-feira, 8 de maio de 2007

Eu quero amar-te perdidamente

“Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.”

Cartas, poemas ou mesmo desejos guardados nos pensamentos, todos temos ou desejamos ter. Por vezes falta-nos a coragem para expressar tudo o que sentimos, ou não o fazemos com o receio de não sermos correspondidos de igual forma, o medo de dar a conhecer o nosso ponto fraco!
Mas esse, não é o ponto fraco, é o ponto forte, o nobre sentimento que os humanos possuem, a capacidade de Amar!
E, todos somos ridículos quando nos deixamos levar pelo êxtase da paixão, quando caminhamos soltos como se pisássemos bolas de algodão…
Mas, mais ridículo é aquele que nunca se deixou levar pela confusão dos sentidos, que nunca misturou o sabor com o odor, que nunca sentiu borboletas no estômago, que nunca cometeu uma loucura, que nunca se perdeu nas horas…que simplesmente nunca amou ou se deixou amar! Que foi ridículo, para não o parecer ao escrever cartas de amor, que nunca gritou, Eu quero amar-te perdidamente.
“Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que sãoRidículas.” [Álvaro de Campos]

11 comentários:

Girassol disse...

De tudo o que mencionaste, a sensação de borboletas no estômago é o que eu mais gosto.
Será possível que exista alguém que nunca sentiu isso? Como se vive sem sentir uma coisa dessas?!

Consigo ser bem ridícula no que diz respeito ao amor, nasci sem a insegurança de não ser correspondida, por isso escancaro a alma.
Não escrevo cartas de amor, mas escrevo posts de amor =)
E... não estou nem aí se são ridículos, isso é pensamento de gente com dor de cotovelo!

Beijinho Vanda.

Marcelo disse...

Pois é, ridículo é quem nunca foi tão docemente ridículo...
O amor nos tira parte de nosso senso-crítico, isso é verdade.
Mas é verdade também que sem amor, sem amar, somos absolutamente ridículos, heheh.

Beijos, menininha.

Um certo Mr. Wattles disse...

Concordo com a Girassol - dor de cotovelo... no mais, ridículo é achar que se pode viver sozinho. A gente precisa, no mínimo de mais uma pessoa do nosso lado!

Obrigado pela sua visita, apareça lá sempre. E concordo com tudo o que você falou - não adianta ter dinheiro e ser só. No entanto, se você ler meu livroblog mais adiante, verá que as idéias ali contidas valem para tudo na vida. O único porém é que o autor escolhe o dinheiro como tema...

Espero seu retorno. Abraço

Mr. Wattles - A CIÊNCIA DE SER RICO
http://mrwattles.blogspot.com/

Márcia(clarinha) disse...

A mola que nos impulsiona para a vida é justamente a sensação de sentir amor,paixão,dor, valsar das borboletas no estômago..
Quem nunca sentiu não viveu.
Eu amo intensamente e grito aos quatro cantos essa minha arte.
Feliz dia,flor
beijosssssssssss

Mel disse...

Por vezes fico em dúvida, mas sempre escrevo, sempre dou recadinhos, lembretinhos, formas minhas de demonstrar meu amor. Mas sabemos que cada um tem sua forma de demonstrar o que sente, seja com palavras, presentinhos, atitudes... Basta entendermos a outra forma que muitas vezes pode ser diferente da nossa...
Beijo grande, Vanda!
Mel

Jana disse...

Sejamos ridiculos então, pq de tudo que aprendi quando tive cancer é que temos que despejar nosso amor diariamente, pq corremos o risco de morrer com ele aprisionado!

obrigada pela visita

Beijos

Tom, um ser diferente... disse...

Vanda! Olá!
Simplesmente, fantástico!
Que presente vir aqui e me deparar com um texto com o qual me identifico de corpo e alma!
Amar é tudo isso mesmo! É sentir sem sentir... Sonhar, e estar acordado ao mesmo tempo.
Gostei muito de receber sua visita no Um Ser Diferente. Seja bem vinda!
Abraços,
Tom

Paula Calixto disse...

Dialético seu texto!

Sentir boroboletas no estômago é voar pro dentro.

Beijos

Vivian Nascimento disse...

Eu adora escrever cartas e poemas de amor...

Amor é dom maior...

Devemos proveite cada momento linda...

bjos!

Márcia(clarinha) disse...

Deixando carinho procê, flor
beijosssssss

Lica disse...

Ridículas as pessoas que não amam? Eu diria que sim. Além disso, pequenas, coitadas!
Bjs.