segunda-feira, 30 de abril de 2007

Sou o fio do horizonte, nunca toco no céu e nunca chego à terra…

Não me levem a mal por pensar assim, mas sinto-me como o horizonte, a linha que separa os sonhos da realidade…sinto que é lá que vivo! Nunca ando com pés firmes na terra, nunca tenho a certeza, vivo em constante dúvida, com um turbilhão nos meus pensamentos, sem garantias de um futuro…
Nunca toco o céu, porque sou sonhadora, sonho para além das nuvens, das estrelas, com a consciência que a vida passa, que muitos desses sonhos ficam guardados no fundo de uma gaveta, que jamais serão parte da realidade nesta vida…
Sou mesmo assim, um retalho, pois no meu coração mora cada um de vós, que sois meus amigos. Um pedaço de todos que amo, que fazem de mim quem sou, um ser individual, mas com uma vida cheia de partilhas…
Sou parte da natureza, sou feliz quando respiro a brisa do mar, quando o sol me presenteia com o seu calor, quando à noite olho as estrelas e lua e nelas coloco os meus segredos, os meus medos!
Sou feliz quando caminho pelos montes, quando respiro o verde das árvores, quando apenas oiço os pássaros a chilrear.
Deus vive em cada um de nós, deus é o universo, deus é a natureza e eu pertenço ao universo, sou parte da natureza!
Sou o fio do horizonte, nunca toco no céu e nunca chego à terra…

6 comentários:

Girassol disse...

Adorei esse texto, adorei mesmo.
A felicidade é bem mais simples de alcançar do que julgamos, basta que saibamos apreciar e dar valor às coisas que nos rodeiam.
Quase que me lembras uma bola de sabão, que flutua, voa, sem ter amarras, simplesmente guiada pela brisa da vida.
Gosto muito da energia positiva que encontro aqui em cada texto, de absorver um bocadinho dessa forma simples e inteligente de estar/ser na vida.
Existem pensamentos que é um privilégio ler neste mundo da blogosfera, os teus fazem parte dessa minha lista.
Obrigado!

Beijinho grande.
Bom feriado.

Mel disse...

Você é especial, pois sabe continuar vivendo apesar da nossa incerteza de existir, de futuro, e principalmente, agradece pela simplicidade da vida e pelos presentes que recebemos de Deus, isto é, tudo de maravilhoso que a natureza nos oferece como o nosso poder de sonhar.
Um beijo e ótima semana Vanda!
Mel

Marcelo disse...

Entendo o que diz sobre os sonhos e o fato de muitos deles não chegarem Às suas mãos.
Já vivi (e vivo) muitos desses sonhos.
Mas trata-se de um "combustível", uma mola propulsora que nos arremessa aos céus.
É tão chato ficar com os pés no chão...
Bora sonhar, bora desejar, objetivar.
Vamos voar, porque as nuvens estão lá exatamente para serem alcançadas e tocadas.

Beijos, menininha.
Bom te conhecer.

Paula Calixto disse...

O ponto de equilíbrio é sempre o do meio!

Onde será que se situa o horizonte??? ;)

Beijos

Girassol disse...

Vanda, tem trabalho para ti lá no Girassol. =)

Beijinhos.

luma disse...

Pois acho que está certa ao comparar-se ao horizonte. Porque é certo que existe um horizonte além de nós, mas se fizer o caminho inverso, verá que por detrás de nossa pupila também existe um horizonte. É tão difícil encontrar pessoas que olham para dentro de si!
boa semana! Beijus