segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Em dias diferentes, em que não me sinto por inteira

Dias em que o mundo termina, numa fracção de segundos, num abismo, talvez nem queira nada ou só queira mergulhar no mar e saborear o seu silêncio, ficar na cama a ouvir os pássaros no beiral, enroscar-me numa manta e ver filmes nas tardes chuvosas, trazer à memoria o tempo que já acabou, o teu abraço, o teu beijo, fechar os olhos e sentir na boca o sabor das frutas vermelhas envolvidas num suave gelado de natas, acordar e acreditar que se amanhã estarei viva, talvez possa fazer algo de bom!
Desfrutar da vida dia após dia…porque nem todas as manhãs são claras… Mais...

10 comentários:

[P] disse...

Adorei mesmo a sua tática dos textos que podem ser lidos lá e cá :)

Beijinhos.

Mary disse...

Eu tb... se a P fizer assim, eu sigo ela! hehehe...
E adorei tuas táticas pra fugir das "manhãs cinzentas" (mesmo em dias de sol).

Bjinhos, Vanda!

;)

O Profeta disse...

Uma cartola de papel
Guarda o sortilégio, a emoção
Um passo de mágica ao acaso
Às vezes solta luz ao coração

Boa semana

Mágico beijo

Paula Calixto disse...

Gostei! Ficou mágico esse "lamento-feliz".

Beijos, lindeza.

Suzanne disse...

Mas às vezes é tão bom... ficar sem fazer nada, se jogar na cama, assistir um montão de filmes, ler... tirar um tempo pra nós mesmas!!! E nesses momentos o silêncio pode ser a melhor companhia...

Adorei o blog!
Bjosss!!

http://aislinnahimana.weblogger.com.br

Mary disse...

Vanda...
Amei as palavras no meu post.
Tem um presente pra ti no meu blog.
Passa lá!
;)
Bjinhos.

Branquinha disse...

Hoje estou assim...
Acordei, saí da cama, olhei pro céu azul, os pássaros cantando, e nada me deixou feliz.
Deitei na rede e senti o vento suave...acabei chorando! Acho que me senti mais aliviada!
bjos

Lidiane disse...

Vanda, é verdade.
Nem todas as manhãs são claras, nem todos os dias temos sol, mas... até o tempo nublado tem a sua função, né?
E vamos esperando o sol brilhar de novo...

Beijos.

Girassol disse...

Em primeiro lugar, preciso dizer que achei a ideia originalíssima. Ir de cá para lá, vir de lá para cá... parabéns.
Em relação ao texto, eu sou o tipo de pessoa que acredita que, embora o sol não brilhe sempre, ele nasce todos os dias.

Beijinhos.

O Profeta disse...

Arranquei as cordas à viola
Calei este altivo tambor
Emudeci meu prazenteiro canto
Sou tecelão de sentires no vale do desamor


Bom fim de semana


Mágico beijo